domingo, 1 de abril de 2012

Através da Tela


Ao mestre Brandão

Através da Tela surgem os primeiros movimentos
É a vida que brota, leve, solta até ingênua
Pássaro livre, brisa, sombra, sol
Encanto, vida

Através da tela sua vida se desvela
Poesia viva, vivida, homem forte, menino travesso
Através da Tela te vejo, te imagino...
É imagino teus dias de sol, de chuva, teus dias nublados

Através da Tela, surge os dias de drama, os dias românticos,
Os dias de tristeza, a alegria do renascimento
Através da Tela, em dia de Lua, você empresta seu coração à Sombra
És tu que vejo? Será que não?
Não sei, não sei...

Através da Tela vejo, sinto, a beleza de Apolo e Dionísio
Isso é vida...   
Velho? Não, a poesia não tem idade

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. te digo uma coisa muito belas suas palavras um otimo achado seu blog.

    ResponderExcluir
  3. Nossa adorei seu comentário... brigadinho...

    ResponderExcluir